Blog

VINDIMA: É TEMPO DE COLHEITA

Vindima: É Tempo de Colheita

A chegada da época de colheita é um momento de união, celebração e trabalho incessante. Conheça mais sobre a verdadeira festa da uva e o que ela representa para as comunidades produtoras.

 

            No coração da Serra Gaúcha, entre os vales verdejantes de parreirais carregados de uvas maduras, os primeiros meses do ano são repletos de celebrações e         muito trabalho. O tempo da colheita, a Vindima, é mais do que somente uma etapa do processo, é a coroação de muito cuidado, trato, uma boa dose de paciência e até um pouco de fé, na esperança de um clima generoso com os viticultores e suas preciosas videiras.

 

O que é a Vindima?

 

            Talvez um dos momentos mais importantes na jornada de produção dos vinhos, a colheita das uvas determina muito da qualidade final de seus produtos. As características dos frutos nesta altura são indicativos do potencial e dos estilos de vinhos, sucos e espumantes que surgirão vinícola adentro.

            A palavra vindima é derivada do latim Vindemia, traduzido simplesmente para “colher uvas”, que por sua vez é a junção de Vinum (vinho) + demere (remover/extrair). Este ato é, definitivamente recolher os frutos prontos para a transformação à bebida divina de Baco. Esta origem não podia ficar distante das comemorações pelo fim da espera e do trabalho árduo, ganhando reforço ainda maior na realidade dos imigrantes italianos que desbravaram as terras brasileiras e tinham na colheita e no vinho como um presente da terra à perseverança e sacrifício no cultivo das parreiras que tantos quilômetros fizeram ao cruzar o oceano.

            No sul do Brasil, durante a vindima, muitos empreendimentos do mundo vitícola possuem programações especiais para que amantes de vinho do país todo (e do mundo) possam integrar-se neste ritual e conhecer mais do processo e simbolismo para cada comunidade.

                       

Quando Ocorre a Vindima?

 

            O tempo da vindima é determinado por três fatores fundamentais: Clima, tipo de uva e os objetivos do enólogo. Primeiramente, é importante reforçar que a festa da colheita é uma celebração pela maturidade das uvas no parreiral, isso significa que os frutos atingiram o ápice de seu desenvolvimento, prontas para assumir seu destino na produção. A maturidade das uvas depende das condições de clima do local onde se encontra o parreiral, ou seja, cada região possui sua própria época de vindima. Enquanto a colheita ocorre entre o início de Janeiro até meados de Março na Serra Gaúcha, estará apenas iniciando em Agosto em Minas Gerais. Na região da Toscana, na Itália, a vindima ocorre entre os meses de Setembro e Outubro, mesma época que os vinhedos da Nova Zelândia estão apenas começando a florescer.

            Dentro destas épocas, o trabalho é intenso e contínuo já que cada variedade de uva atinge o ponto ideal em momentos diferentes. Iniciando com as variedades brancas, como Chardonnay e  Sauvignon Blanc, no fim de Dezembro até medos de janeiro, as uvas tintas mais precoces como o Merlot até as mais tardias como o Cabernet Sauvignon na primeira quinzena de Março.

            Respeitando as necessidades de cada tipo de uva e os impactos naturais do clima na evolução dos frutos, o enólogo pode trabalhar para preservar características específicas, dependendo do tipo de produto que quer atingir. Ao colher mais cedo do que o ideal, o produtor garante que a uva terá uma maior acidez, indispensável para espumantes, por exemplo. Uvas para vinhos de guarda devem aproveitar ao máximo o tempo disponível para desenvolvimento, diminuindo os níveis de acidez e aumentando os teores de cor, taninos e açúcar.

 

Como é Feita a Vindima?
 

            Normalmente, a colheita das uvas ocorre durante os momentos mais frios do dia, especialmente no início da manhã ou até antes do sol raiar, já que as uvas podem ser colhidas protegidas do calor e ir direto para a vinícola, evitando fermentações espontâneas que podem gerar sabores e aromas indesejáveis. Uvas destinadas à elaboração de vinhos finos podem ser colhidas manualmente ou por máquinas especiais. A escolha do método é definida pelas condições do terreno onde está o vinhedo e pelos objetivos do produtor. Uvas de excelência tendem a ser colhidas por trabalhadores experientes, capazes de definir os melhores cachos, dispensar uvas não maduras ou podres além de evitar machucar as videiras por ação mecânica.

 

            A vindima é uma tradição que já preenche quase 10.000 anos da história humana, remontando ao Oriente Médio, dali ao Egito Antigo e aos Gregos que viam no vinho uma benção dos deuses, digno de banquetes e festas. Inspirou filósofos e poetas através da história, como Goethe, impressionado pelos rituais de colheita na Itália, onde testemunhou os viticultores tirando gentilmente cada cacho e levando alegremente até a cantina para a pigiatura, a icônica prensagem com os pés para extrair o suco da uva. Hoje, mesmo que a tecnologia seja parte fundamental do processo, a colheita segue como um símbolo de comunhão social, costume passado entre gerações com carinho e paixão pela arte da vitivinicultura.

 

Post anterior
Próximo post

Deixe um comentário

Os comentários devem ser aprovados antes de serem publicados

×

Novidades

Vinho Casa Marques Pereira Segredos da Adega Pinot Noir

R$ 130,00

Vinho Casa Marques Pereira Reserva Cabernet Franc

R$ 89,00

Vinho Casa Marques Pereira Reserva Tannat

R$ 89,00