Blog

CONHEÇA SEU VINHO: CABERNET FRANC

Conheça Seu Vinho: Cabernet Franc

Uma das mais tradicionais e importantes variedades de uva do mundo. A heroína silenciosa, e elegante, que garante o sucesso de seus varietais, cortes tradicionais e até o sucesso de outras cultivares.

 

            A uva Cabernet Franc é, sem dúvidas, uma das mais importantes do universo vinícola. Produzida em larga escala, sua relevância é muito maior do que sua própria existência já que trouxe à luz do mundo vitícola outras variedades emblemáticas. Podemos dizer, até com certa tranquilidade, que esta casta extraordinária ajudou a definir os rumos e preferências dos consumidores de vinho, mesmo que eles não tenham bebido uma única gota deste elegante tinto.

            Quando se fala em “Cabernet, é normal associar, e completar o nome, com o intenso e marcante Sauvignon. Sempre potente, com taninos muito presentes e persistência. Mas toda essa fama só é possível graças ao elegante e delicado Franc. Por centenas de anos, ambos Cabernets dividiram os morros gentis de Bordeaux, cada qual com suas particularidades, mas geralmente trabalhando juntas, com a Franc oferecendo o suporte e equilíbrio que a Sauvignon junto com outra queridinha, a Merlot, precisavam para presentear os amantes do vinho com os imortais cortes bordaleses.

            Apenas em 1995, graças a cientistas pioneiros na ampelografia, decifraram o DNA desta variedade para descobrir que tanto Merlot como Cabernet Sauvignon são filhas diretas da nobre Cabernet Franc. Esta ancestral casta é responsável direta, e indireta, por quase todos os grandes rótulos de vinhos tintos modernos. Sua versatilidade e resistência ajudou a estabelecer regiões clássicas e a desenvolver promissoras áreas pelo Novo Mundo.

           

Onde surgiu a Cabernet Franc?

 

            Mesmo considerada uma das filhas mais nobres do solo francês, símbolo da região de Bordeaux, suas raízes são tão antigas que precedem até mesmo a famigerada localidade. Seus registros históricos remontam além-fronteira, já que a maioria dos estudiosos acredite que sua origem está na região do País Basco, ao norte da Espanha, próximo aos Pirineus, de onde mudas desta variedade acompanharam os peregrinos religiosos de volta à França.

            Os principais registros contam que, em algum ponto do século 17, o Cardeal de Richeliou, importante figura da Igreja Católica e da Coroa à época, levou algumas mudas de Cabernet Franc até a Abadia de Bourgueil, no Vale do Loire, e deixou as plantas aos cuidados do líder do local, que atendia pelo nome de Breton, exatamente como é conhecida até hoje a uva Cabernet Franc nesta região.

            Sua versatilidade, resistência e capacidade de se adaptar aos mais distintos climas ajudou a disseminação desta variedade, ganhando centenas e mais centenas de hectares pela França e mais tarde pela Itália, Hungria e outros países do Velho Mundo. Seu potencial carregou a casta através dos sete mares onde encontrou morada e se desenvolve até hoje, da China ao Canadá e da Nova Zelândia ao Brasil.

           

A Cabernet Franc no Brasil

 

            Com o desafio de encontrar as melhores variedades para cada região produtora do Novo Mundo, era inevitável que a Cabernet Franc aportasse na América do Sul e eventualmente ganhasse importância no Chile e na Argentina. Quando estes se tornavam relevantes, já existiam vastas áreas de cultivo em terras tupiniquins. Isso mesmo, esta uva já era longa conhecida em solo brasileiro, trazida  até ali por volta de 1900 e tendo ganhado muita importância no Rio Grande do Sul, e, em especial, na Serra Gaúcha.

            Para ser mais preciso, entre as décadas de 70 e 80 a Cabernet Franc foi a uva vinífera mais plantada do estado gaúcho, maior produtor do país. Com o passar dos anos, esta sofisticada variedade cedeu espaço para outras uvas com maior apelo comercial e acabou perdendo prestígio. Muitos produtores creditam essa queda também a um fato muito peculiar, que comprometeu a qualidade dos vinhedos. As mudas que se disseminaram na Serra não seriam do melhor material genético e, com o passar do tempo, a produtividade caiu muito, obrigando os produtores a buscarem alternativas mais rentáveis. De fato, a produção anual desta variedade, que chegou a bater mais de 12 toneladas nos anos dourados, caindo para menos de 3 toneladas em menos de duas décadas.

            Para nossa sorte (e seu merecimento), esta variedade está voltando a ganhar prestígio, atenção e hectares de plantio, permitindo que rótulos cada vez mais interessantes surjam no mercado. Suas características produtivas são ótimas para o terroir da Serra Gaúcha, mais precoce que a Cabernet Sauvignon, fica completamente madura uma ou duas semanas mais cedo, permitindo a elaboração de vinhos profundos e intensos, que aproveitam a complexidade dos seus aromas, o equilíbrio dos taninos e sua ótima acidez.

 

 

Notas e Harmonização

 

            Uma de suas marcas principais é sua imensa capacidade de adaptação a climas muito distintos. Consegue desenvolver vinhos muito potentes e marcantes no estilo mais clássico ou ainda vinhos mais delicados e gentis, com aromas complexos e equilíbrio no paladar. Vinhos elaborados ao estilo tradicional, do Vale do Loire, aproveitam o melhor do seu bouquet e da excelente acidez, características elevadas pelo clima mais ameno da Serra Gaúcha. O Reserva Cabernet Franc é um exemplo perfeito desta descrição.

 

Características Gerais: Os vinhos elaborados com Cabernet Franc apresentam ótima acidez e frescor com taninos gentis e maduros, alcançando teor alcoólico entre 12.5 e 14% dependendo das condições da safra. Suas características casam muito bem com passagens por barrica de carvalho, especialmente francês, entre 8 e 12 meses. Um cuidado zeloso na elaboração garante um potencial de guarda de 6 até 15 anos de envelhecimento.

 

Notas e Serviço: A cor dos vinhos de Cabernet Franc é delicada, com um tom púrpura variando do médio ao intenso, e seus excepcionais e muito intensos aromas variando de violeta e frutas silvestres até cassis, groselha, eucalipto e algumas notas minerais que se repetem no paladar, com leve picância que pode remeter à pimenta preta com taninos muito delicados. Deve ser servido em taças com bojo maior para facilitar a aeração e desprendimento dos aromas, e em temperaturas de 16 à 18°C. Interessante decantar por quarenta minutos, ou até uma hora, se possível.

 

Harmonização: A ótima acidez torna os vinhos Cabernet Franc ótimos para harmonizar com aves de caça e ricos molhos vermelhos em massas, risotos e até pizzas. Combina bem com vegetais grelhados ou recheados, mesmo com sabores levemente apimentados. Faz uma dupla perfeita com queijo brie e é escolha certeira para acompanhar pratos ao molho barbecue.

 

Post anterior
Próximo post

Deixe um comentário

Os comentários devem ser aprovados antes de serem publicados

×

Novidades

-6% off

Quinta da Orada Corte V MAGNUM 1,5L + Caixa de Madeira personalizada

R$ 641,90 R$ 599,90
-9% off

Quinta da Orada Corte V 750ml + Caixa de Madeira personalizada

R$ 395,90 R$ 359,90